quarta-feira, 8 de julho de 2015

Profundidade Superficial e Superficialidade Profunda




Hoje temos nos deparado com uma situação um tanto contraditória: temos acesso a qualquer tipo de informação a um clique do computador ou celular. Vivemos a era da democratização do conhecimento. No entanto, o que presenciamos é uma superficialidade muito grande norteando as pessoas.

Superficial significa pouco profundo,
pouco sólido,
pouco fundamentado,
leviano. Quando agimos superficialmente não nos atemos às minúcias. Qual é a consequência disso?
No ambiente corporativo, temos alguns problemas sérios:

1)  Os profissionais não têm mais paciência de ler mensagens, e-mails, relatórios, artigos, livros etc. Passam os olhos por algumas palavras e pretendem deduzir o conteúdo de forma rápida, sem perder tempo.
2)    Para resolução de problemas, são adotados os caminhos mais fáceis, não se pensam em todas as possibilidades. Tudo em nome da praticidade a fim de passar para o próximo assunto.
3)    Em treinamentos para assumir a função de uma pessoa que foi promovida ou sairá da empresa, presenciamos aquele que está treinando querendo passar logo as atividades da sua função, com a intenção de se livrar para estar aberto ao novo. Quem está sendo treinado, por sua vez, não se interessa em perguntar, explorar, limitando-se a ouvir. Muitos simplesmente não anotam os detalhes que serão fundamentais  para quando estiver sozinho responsável pela função.
4)    Muitos profissionais querem conhecer um pouco de tudo de várias áreas e funções e perdem o foco do que é realmente mais importante. Não se aprofundam em nada, quase tudo é tratado de forma rasa.
5)    Decisões são tomadas sem a devida clareza ou estudo dos fatos.
6)  Profissionais dão preferência para cursos rápidos, mas nem todo conhecimento é adquirido na mesma velocidade.

Sair da superficialidade significa aprofundar-se, perceber e entender. 
Para tal, é necessário que haja comprometimento, investimento em conhecimento e autoconhecimento mais profundo.


Não quero aqui defender que tudo seja abordado com profundidade. Não é isto! Em contrapartida, não dá para tudo ser visto superficialmente. O fato é que algumas situações exigem profundidade, análise cuidadosa. Outras demandam foco no que está sendo realizado. Por exemplo: se vou abrir um e-mail, preciso ler tudo com atenção e não algumas partes e já ir me preocupando com a resposta que vou dar. O importante é saber quando devemos ou não nos aprofundar. Não dá só para pensar demais e ser lento nem só para sair fazendo sem pensar, sem planejar, porque a chance de erro pode ser maior.

Para concluir, quero propor a seguir uma reflexão através de algumas citações sobre esse tema e também um questionário para que você, leitor, faça uma autoavaliação.
Primeiramente, as citações que selecionei:

"Os defeitos, como as palhas, ficam na superfície. Para encontrar pérolas deve-se mergulhar." John Dryden, escritor inglês. 

 


"Aprender sem pensar é inútil. Pensar sem aprender, perigoso." Confúcio, pensador chinês.

"Quem pensa com grandeza pode se enganar com grandeza." Martin Heidegger, filósofo alemão.

"Livre pensar é só pensar." Millôr Fernandes, escritor brasileiro.


Segundo Guimarães Rosa, é possível através de um espelho reeducar o olhar. Por isso, segue abaixo o questionário:

- O quanto você se dá conta da forma como lida com os temas que se apresentam no seu dia a dia?

- Como você reage sempre que alguém menos experiente o questiona sobre algo que você já faz há muito tempo? Você dá crédito e analisa ou simplesmente ignora?

- Você tem retrabalho por não ter lido atentamente as solicitações que lhe foram feitas?

- Você tem dificuldade para aceitar o diferente, o novo, pois acredita muito na fórmula do sucesso que você já conquistou?

- Você pergunta quando tem dúvidas ou faz pesquisa para entender melhor um determinado assunto?

- Você pesquisa quando alguém faz um comentário ou cita algum acontecimento sobre o qual você desconhecia?

- Você pede feedback?

- As suas ideias e opiniões são sempre melhores?

- Você é do tipo de pessoa que pensa demais para tomar decisões e, às vezes, deixa passar a oportunidade? O trem passa e você não sobe?

- Você é do tipo de pessoa que quase não pensa e age muito por impulso e, às vezes, arrepende-se do que faz ou diz?



Se quiser compartilhar suas experiências, será um prazer ouvi-lo!

quarta-feira, 25 de março de 2015

Pessoa Além de Pessoa

Artigo com poema que escrevi para o portal da Revista da Cultura sobre a vida do poeta português Fernando Pessoa:





Pessoa soa nas diversas personas
Quem é o verdadeiro poeta?
Todos o são!
Não são pseudônimos
Nem máscaras.
Vertentes do eu
Outras linguagens
Outras mentes
Por entre Campos e Reis
Pessoa é o ponto de união
A liga.
Mestre, discípulo e pagão.
Culto ou vulgar
Pessoa além do eu
O Pessoa é a pessoa da poesia!

Fernando Antônio Nogueira Pessoa nasceu em Lisboa no dia 13 de junho de 1888. Em 47 anos de vida, deixou um legado impressionante no mundo da poesia, através do ortônimo (ele mesmo) e três principais heterônimos: Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos. Esses heterônimos foram criados em 1914.

“Sua lucidez não domino coisa alguma, e ele não encontrou o lugar protegido de um ‘si mesmo’. Ponhamo-nos à escuta desse vazio, que fala pela força única do desejo, cindido em metades irreconciliáveis: sentir-pensar, mulher-homem, ser-estar.” (Leyla Perrone-Moisés).

Como seu pai, Joaquim de Seabra Pessoa, morreu quando ele ainda tinha 5 anos, foi criado por seu padastro. Logo antes de a mãe se casar, ele escreveu seu primeiro poema, uma quadra dedicada a ela, Maria Magdalena Pinheiro Nogueira.

Apesar de ter sido um ótimo aluno na escola em que estudou em Durban na África do Sul, onde morou até 1907, não se formou. Abandou o Curso Superior de Letras que estava fazendo em Lisboa.

A partir de 1909, Fernando Pessoa, com espírito empreendedor, tentou abrir vários negócios que fecharam depois de pouquíssimo tempo. Fundou a tipografia e editora Íbis, que fechou no ano seguinte.  Em 1917, criou a firma F. A. Pessoa, intermediadora de negócios, que durou um ano. Em 1922, abriu a empresa, F. N. Pessoa, que funcionou por três anos.

Ele contribuiu com artigos, poemas e odes para várias revistas, inclusive algumas que ele mesmo fundou, tais como: AthenasRevista Portugal futuristaRevista de comércio e contabilidade. No entanto, Pessoa ganhou a vida principalmente como tradutor e redator de cartas.

Em 1919, Pessoa conheceu Ophélia Queiroz, com quem iniciou um namoro, o único de que se tem registro. No ano seguinte, ele terminou o namoro por carta. Depois de vários anos, ele voltou a namorá-la, mas nunca se casou e não teve filhos.

Entre 1929 e 1934, Fernando Pessoa publicou dois poemas muito famosos:Autopsicografia e Tabacaria, além de seu único livro de poemas em português:Mensagem.

Em 1935, escreveu a carta a Adolfo Casais Monteiro sobre a gênese dos heterônimos. Em 30 de novembro do mesmo ano, morreu, deixando cerca de 25 mil originais guardados em uma arca na sua casa. 

“A poesia, por pouco que se queira descer em si mesmo, interrogar a alma, evocar suas lembranças de entusiasmo, não tem outro objetivo a não ser ela mesma, não pode ter outro, e nenhum poema será tão grande, tão nobre, tão verdadeiramente digno do nome de poema, quanto aquele que foi escrito unicamente pelo prazer de escrever um poema.” (Baudelaire).

Sugestões de livros sobre Fernando Pessoa, homenageado do primeiro sarau conVersar de 2015:

Fernando Pessoa Antologia Poética, de Cleonice Berardinelli
Fernando Pessoa Coleção Melhores Poemas, de Teresa Rita Lopes
Fernando Pessoa Obra Poética VII, de Jane Tutikian
Fernando Pessoa Aquém do Eu, Além do Outro, de Leyla Perrone-Moisés
Mensagem, de Fernando Pessoa. Organização de Caio Gagliardi
Poesia Completa de Ricardo Reis, de Fernando Pessoa. Organização de Manuela Parreira da Silva
Poesia Completa de Alberto Caeiro, de Fernando Pessoa. Organização de Fernando Cabral Martins e Richard Zenith
Poesia Completa de Álvaro de Campos, de Fernando Pessoa. Organização de Teresa Rita Lopes

Próximo encontro do Sarau conVersar: 31/03/2015
Onde: Mezanino da Loja de Artes na Livraria Cultura
End.: Avenida Paulista, 2073, Conjunto Nacional
Horário: das 19h30 às 21h30
Curta nossa fanpage no Facebook, acompanhe as datas dos próximos saraus e viaje nos poemas, vídeos e fotos que compartilhamos.
https://www.facebook.com/pages/Conversar/1642753309283344

6 Diferenças Importantes entre Inglês Britânico e Americano

http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/6-diferencas-importantes-entre-ingles-britanico-e-americano


Artigo que escrevi para o portal da Revista Exame sobre algumas diferenças ortográficas entre o inglês britânico e o americano.





* Escrito por Lígia Crispino, fundadora e sócia-diretora da Companhia de Idiomas e da ProfCerto
O inglês surgiu na Grã-Bretanha na Idade Média com a invasão de germânicos e, em 1500 anos de evolução, sofreu influência de outras línguas, como o celta, latim, grego e francês. O inglês se tornou língua oficial em muitos países e a língua de comunicação entre os povos.
Por conta da importância econômica dos Estados Unidos e da Inglaterra, é muito comum a preocupação de tentar entender as diferenças entre o inglês britânico e americano para evitar problemas nas relações pessoais, profissionais e políticas. 
Não é apenas uma questão de sotaque, facilmente perceptível, mas também de ortografia, vocabulário e gramática. Na verdade, nos dois países existem variações linguísticas regionais, assim como existe dentro do Brasil e entre Brasil e Portugal.
Como não existe certo e errado, a informação contribui para as pessoas não misturarem demais as duas variações do idioma. Aqui, pretendo abordar tão somente as diferenças de ortografia.
Veja a seguir seis dessas distinções:
1. Algumas palavras que terminam em -ter no inglês americano são grafadas com -tre no inglês britânico.
Inglês americanoInglês britânicoPortuguês
centercentrecentro
fiberfibrefibra
kilometerkilometrequilômetro
literlitrelitro
maneuvermaneuvremanobra
metermetremetro
theatertheatreteatro
2. Algumas palavras que terminam em -or no inglês americano são grafadas com -our no inglês britânico.
Inglês americanoInglês britânicoPortuguês
laborlabourtrabalho
behaviorbehaviourcomportamento
favorfavourfavor
favoritefavouritefavorito
neighborneighbourvizinho
harborharbourporto
honorhonourhonra
humorhumourhumor
colorcolourcor
flavorflavoursabor, aroma
rumorrumourrumor
3. Muitos verbos terminados em -ize no inglês americano são geralmente grafados com -ise no inglês britânico.
Inglês americanoInglês britânicoPortuguês
analyzeanalyseanalisar
apologizeapologisedesculpar-se
criticizecriticisecriticar
jeopardizejeopardisecolocar em risco
minimizeminimiseminimizar
organizeorganiseorganizar
paralyzeparalyseparalisar
realizerealiseperceber
recognizerecognisereconhecer
stabilizestabiliseestabilizar
4. A letra "l" tem algumas peculiaridades:
Inglês americanoInglês britânicoPortuguês
jewelryjewelleryjoia
counselorcounsellorconselheiro
enrollenrolmatricular-se, inscrever-se
enrollmentenrolmentmatrícula
fueledfuelledabastecido
fulfillfulfilpreencher, cumprir
installmentinstalmentprestação
marvelousmarvellousmaravilhoso
skillfulskilfulhabilidoso
travelingtravellingviajando
traveledtravelledviajar (passado e particípio)
travelertravellerviajante
quarelingquarellingbrigando
5. Algumas palavras terminadas em -og no inglês americano são grafadas com -ogue no inglês britânico:
Inglês americanoInglês britânicoPortuguês
analoganalogueanálogo
catalogcataloguecatálogo
dialogdialoguediálogo
monologmonologuemonólogo
6. Algumas palavras terminadas em -ense no inglês americano são grafadas com -ence no inglês britânico:
Inglês americanoInglês britânicoPortuguês
defensedefencedefesa
licenselicencelicença
offenseoffenceofensa
pretensepretencepretenso
Lígia-Velozo-Crispino
 
 
Lígia Velozo Crispino, fundadora e sócia-diretora daCompanhia de Idiomas e da ProfCerto. Autora do livro de poemas "Fora da Linha", é colunista dos portais RH.com e Vagas Profissões.